MERCENÁRIOS NÃO SÃO PASTORES

MERCENÁRIOS NÃO SÃO PASTORES



E, tendo Jesus entrado em Jericó, ia passando.

Lucas 19:1

Queria estar lá para ver esta cena, deveria ser maravilhosa!

Jesus e seus discípulos entrando em jerico já tendo uma grande fama pelos arredores, muitas pessoas com ansiedade o aguardavam para ouvi-lo.

Muitos enfermos deveriam estar à espreita dele, pois já sabiam de sua fama de milagres, milagres mesmos!

Não aquele forçado como agente às vezes vê certos pregadores fazendo na TV, tudo era às claras, instantâneo e para isto acontecer bastava crer, pois ele dizia “tudo é possível ao que crer.

Uma grande multidão se ajuntou ali, mas uma pessoa, uma atitude, chama muito a atenção de Jesus Cristo.

Pode parecer brincadeira uma pessoa baixinha chamar a atenção no meio de tanta gente reunida e se apertando, gente de todos os tipos e aspectos, mas é o que acontece.

E procurava ver quem era Jesus, e não podia, por causa da multidão, pois era de pequena estatura.
Lucas 19:3

Mas ele não chama a atenção de Jesus pelo fato de ser um baixinho no meio de uma multidão, nem por ser engraçado, ou exótico, mas porque com muita vontade de vê-lo correu e subiu em uma arvore para então de um ponto mais alto o avistar melhor sem ninguém para o impedir a vista.

E, correndo adiante, subiu a uma figueira brava para o ver; porque havia de passar por ali.

Lucas 19:4

O que talvez fez este homem rico e conhecido de todos, deixar seus afazeres para correr e subir em uma figueira para ver Jesus o tal “blasfemo”, que declarava ser o filho de Deus e rei dos Judeus, que o fazia inimigo de fariseus e de Roma, e ele Zaqueu ainda era um publicano.

E eis que havia ali um homem chamado Zaqueu; e era este um chefe dos publicanos, e era rico.
Lucas 19:2

Ele tinha muitos motivos para não estar lá, nem na multidão e muito menos ter que subir em uma figueira e passar a vergonha de ser “o baixinho da figueira”, mas o único motivo que ele tinha; extrapolava toda a razão de um mestre da lei ou de uma religiosidade de um fariseu, seu motivo era conhecer o evangelho!

Jesus é a própria palavra, o verbo que se fez carne, o único que tinha e têm palavras de vida eterna, isso é o evangelho, o amor de Deus expressado em seu filho e em palavras vindas de Deus pelo seu unigênito.

A fé vem por ouvir não é?

De sorte que a fé é pelo ouvir, e o ouvir pela palavra de Deus. Romanos 10:17

Este homem Zaqueu ouviu falar de Jesus e isso dentro do seu espírito gerou fé, e fé quando é absorvida por boa terra gera muitos frutos, e um deles é atitude!

Com essa fé veio a necessidade de conhecer Jesus, de ver o mestre dos mestres, o que ressuscita mortos e cura leprosos, mulheres com hemorragia, que ajudava os mais rejeitados e pobres de espírito.

E o que mais devia trazer a admiração de Zaqueu me supõe, é que Ele Jesus, não cobrava de ninguém milagre nenhum e nem ficava acusando mulheres pegas em adultério, mas mostrava perdão e amor e isso derrubava por terra muitas pedras de fariseus e de hipócritas que existia na época de Cristo.

Bendita figueira!

Quando queremos alcançar a Deus tudo coopera para isso até mesmo uma figueira.

E sabemos que todas as coisas contribuem juntamente para o bem daqueles que amam a Deus, daqueles que são chamados segundo o seu propósito. Romanos 8:28

Não podemos de deixar de falar de algo aqui.

E procurava ver quem era Jesus, e não podia, por causa da multidão, pois era de pequena estatura.
Lucas 19:3

Havia uma multidão e ele um baixinho talvez assim como eu, (você sabe que alegria de baixinho e encontrar outro né), pois bem, mesmo sendo baixinho e tendo uma multidão ao seu redor impedindo de encontrar a Jesus ele não desistiu, ele foi à frente e aproveitou a oportunidade dada “uma figueira”.
.
E lá de cima todos podiam o ver, o publicano conhecido que estava curioso para ver Jesus, mas o orgulho não foi empecilho para ver e estar com Jesus.

Seu esforço foi notado por Jesus e ele teve sua recompensa.

E quando Jesus chegou àquele lugar, olhando para cima, viu-o e disse-lhe: Zaqueu desce depressa, porque hoje me convém pousar em tua casa.
Lucas 19:5

Com essa fala até parece que Jesus é que estava curioso de conhecer Zaqueu “desce depressa” é que o mestre gostava de ouvir e saber o porquê de tal atitude, de onde vinha tal fé.

O fato de pousar na casa de um homem como Zaqueu iria trazer muitas criticas ao Senhor, mas o mestre do amor não poupava esforços para amar e de mostrar tal amor e salvar um pecador.

“Olha ele vai pousar na casa do Zaqueu” todos tinham motivos para verem com maus olhos aquele homem publicano, mas ainda assim Jesus o via com olhos de amor e perdão.

Jesus não o acusou, nem o criticou e nem fez descaso daquele que tinha feito tamanho esforço para ter com ele, o mestre destilava amor, acredito que bastava um olhar de Jesus para nos cativar, um sorriso seu iluminava nossa vida sofrida, e assim sendo ganhava mais um discípulo.

E, apressando-se, desceu, e recebeu-o alegremente.
Lucas 19:6

O encontro do perdido com sua esperança, gera alegria, e a esperança tem alegria em encontrar um perdido, assim vejo a descida de Zaqueu daquela arvore.

Quando eu era menino quase sempre acompanhava minha mãe ao supermercado Real em nossa cidade, quando ela ia fazer compras, por sinal era o maior mercado na época.

E lembro-me que em uma vez fiquei no corredor dos brinquedos e perdi-me dela então um desespero me tomou posse, mas meus olhinhos verdes “cataram” ela por todos os lados, quando a achei uma imensa alegria tomou conta de mim.

Assim imagino essa sena ser muito parecida, Zaqueu encontrando Jesus.

E, vendo todos isto, murmuravam, dizendo que entrara para ser hóspede de um homem pecador.
Lucas 19:7

Jesus veio não para os sãos, mas para os doentes, para salvar o pecador devemos conquistá-lo, não com religiosidade, desprezo e distancia, mas com amor e nisso Jesus era mestre, amava como ninguém até hoje amou.

Ele foi à casa de um pecador, mas não saiu pecador, mas doou vida com suas palavras, e trouxe esperança para uma família pecadora.

Como há crentes julgadores e maus, vêem tantos defeitos na vida dos outros e não percebem os seus.

O que há de errado em amar um pecador e tentar tira-lo de sua vida de desonestidade, e se for preciso pousar em sua casa o que há de mal nisso.

Mas os fariseus o acusaram e o criticaram grandemente.

O efeito do evangelho é fantástico quando pregado e vindo de alguém sem maldade e dolo.

E, levantando-se Zaqueu, disse ao Senhor: Senhor, eis que eu dou aos pobres metade dos meus bens; e, se nalguma coisa tenho defraudado alguém, o restituo quadruplicado.
Lucas 19:8

Esse homem reconhece seu pecado e condição diante do que Jesus deve ter pregado a ele, há um arrependimento verdadeiro, sem este tipo de arrependimento não há conversão e nem salvação.

E disse-lhe Jesus:

Hoje veio a salvação a esta casa, pois também este é filho de Abraão.
Lucas 19:9

Provavelmente Zaqueu era um Judeu a serviço do governo da época, e por isso era mal visto por muitos.

Porque o Filho do homem veio buscar e salvar o que se havia perdido.
E, ouvindo eles estas coisas, ele prosseguiu, e contou uma parábola; porquanto estava perto de Jerusalém, e cuidavam que logo se havia de manifestar o reino de Deus.
Lucas 19:10-11


Quando li esta passagem mais uma vez em uma madrugada passada, algo Deus me mostrou aqui, sei que o que vou escrever daqui em diante pode gerar criticas, mas se Jesus foi à casa de um pecador e não se preocupou, faço o mesmo.

Note uma coisa, quando o homem Zaqueu diz que daria metade de seus bens aos pobres e restituiria quadruplicado a alguém defraudado por ele a resposta de Jesus foi “hoje ouve salvação nesta casa...”.

Meu amigo, Jesus em nenhum momento tentou tirar proveito da fé e bondade deste pecador
arrependido, que movido pelo Espírito Santo decide mudar de vida.

Veja, Jesus não se aproveitou dele, não quis ficar com o que era dele e destinado aos pobres, Jesus poderia dizer:

 “bem eu tenho doze amigos que sustento, você poderia depositar esta quantia no meu ministério e obra”

È horrível dizer isso, mas muitos fariam se estivessem no lugar do Senhor!

Jesus não veio pelo Real, Dólar ou Euro, mas para salvar os perdidos, pregar o evangelho que ele chama de caminho para a salvação.

Mas hoje muitas igrejas e pastores fazem de seus ministérios negócios e tiram proveito de pessoas neófitos na fé como Zaqueu.

E é pesado escrever isso, mas é o que acontece, nesses meus nove anos de pastorado converso com muitas pessoas e vejo tal coisa acontecer.

Há igrejas maravilhosas que tenho visitado ultimamente, a ultima; foi uma batista e fui muito bem recebido, a atmosfera era de paz e comunhão de irmãos em Cristo, o louvor e o que foi pregado ali foi o evangelho da salvação, não o evangelho da negociação de barganhas com Deus.

Na verdade há mais igrejas e pastores sérios que desonestos e amantes de si mesmos.

Mas o mercenário, e o que não é pastor, de quem não são as ovelhas, vê vir o lobo, e deixa as ovelhas, e foge; e o lobo as arrebata e dispersa as ovelhas. João 10:12

O pastor mercenário prega um evangelho de negocio com as ovelhas, não tem compromisso com o evangelho da salvação, mas com sua própria vida, o que lhe interessa é a lã das ovelhas, que devia protege-las do inverno (dificuldades).

Enquanto pode ter e tirar riqueza para si com muitas desculpas, e choradeiras como:

"é para cuidar da obra de Deus"

Tudo bem, mas onde o evangelho não é pregado o lobo está lá que é Satanás, que prefere ver as pessoas indo para a igreja em busca só de bênçãos e pregações motivacionais do que crentes que vão para um lugar que há um pastor onde não o deixa entrar, porque ama o evangelho da salvação e não engana suas ovelhas.

Não me entenda mal, ofertas e dízimos são bíblicos e devem ser respeitados, pois há graça de Deus nisso, mas não é opressão e nem deleite para a vida do pastor.

E é bíblico que o pastor tenha seu sustento vindo da igreja, pois dedica sua vida a Deus e tem compromisso com a verdade e honestidade.

Porque diz a Escritura:

Não ligarás a boca ao boi que debulha. E: Digno é o obreiro do seu salário. 1 Timóteo 5:18

Mas tem aqueles que fizeram disso um mercado de negócios e quem sofre são as ovelhas, pois o mercenário não se importa com elas, o que ele quer é o seu sustento, e fama, e gloria, e o tal chamado “crescimento”.

Acredito que os fins não justificam os meios, não posso querer fazer a obra de Deus pondo jugo nas ovelhas, judiando de pastores, isso mesmo, há pastores em muitos ministérios onde são simplesmente tratados como empregados de seus lideres, onde são obrigados a bater metas de ofertas e muito mais.

É fácil você usar para seus propósitos alguém que ama a Deus, dizendo para ela que fazendo tal coisa você esta fazendo a vontade de Deus.

Tudo tem seu equilíbrio, mas entrar em um lugar para cultuar Deus e desde que você entra pela porta já chegar recebendo envelopes e mais envelopes; isso é maléfico de mais.

Membros que são ameaçados que serão derrotados se não der tal quantia em ofertas, que o demônio vai destro ilas por isso.

Enquanto isso, pastores lideres de igrejas, fazem fortunas e pastores liderados honestos e dedicados ao evangelho sofrem em suas mãos.

Muitos se submetem por amor a Deus e acreditando em seu chamado, e desistem de desistir.

Muitos abrem seus olhos e procuram pregar o evangelho da salvação, que não oprime as ovelhas, que não tira proveito, mas que gera solidariedade e amor.

È é duro, mas muito disso esta acontecendo por ai, fuja de tais pastores que falam mais em ofertas do que do evangelho, que pregam a benção em vez da ressurreição de Cristo, que filosofam em vez de falar a verdade como João Batista falou ao líder romano.

Muitos criaram suas “revelações” para tais fins, mas a palavra de Deus diz:

“ai de quem tirar ou acrescentar ao que já foi ensinado por Cristo”.

Imagina um pastor querendo cuidar das ovelhas e por trás, um líder que diz:

“tem que crescer mais”, mas crescer o que?

A oferta!

Pensou que fosse almas?

Ou ainda o amor entre irmãos, pecadores se arrependendo aos pés do evangelho de Cristo,sim; esse tem que ser o verdadeiro crescimento, mas tem aqueles que se preocupam mais com o tamanho da igreja e o luxo e seus programas de TV do que pregar o evangelho simples, e honesto que Jesus pregou.

Para finalizar tem ovelhas que saem com mais envelopes para fazerem seus votos ou campanhas (que deveria ser de oração de visitas nos hospitais, ajudas sociais) do que com o evangelho, pois só o que ouviu foi sobre oferta e dar e receber.

Tudo na vida tem limites, no evangelho também tem limites, procure você descobri-los,
e se você notar que passou do que é evangelho, pule fora!

Ofertas, e dízimos, são na verdade fruto de amor de alguém que ama a Deus e só por Deus existir já é tudo, e nos resta agradecer com ofertas também e dízimos voluntários, sem pressão, sem negociata, pastor que faz negociata com membro por oferta e dizimo não é digno de ser pastor.

Há campanhas que são simplesmente chamarisco para quem só quer enriquecer, e eles darão o que você quer em troca de sua oferta e dinheiro, isso se aprende com a teologia da prosperidade.

Eu cresci em uma igreja onde havia amor, ali desde sedo fui com minha mãe, os pastores eram carinhosos e amorosos, não eram espancadores escondidos em cima de um altar, o foco nunca foi o dinheiro, mas o evangelho que devia ser pregado, e pediam ofertas e dízimos sem oprimir ninguém, e ameaçar as pessoas, foi numa igreja assim que cresci, e sonhei ser pastor e por isso sou, então nunca vou concordar com a tirania que acontece dentro de igrejas, que ferem ovelhas e pastores honestos.

Mas Graças a Deus que existe mais igrejas corretas do que torpes pela ganância, aonde quem não chega de carro zero não é bem vindo, Jesus andou em um jumentinho eles não se lembram disso.

Oro para que cada vez mais surjam pastores honestos consigo mesmos, e com Deus e suas ovelhas.

Recentemente vi um vídeo que está no Youtube de um regional ou bizzpo (coloquei o zz's por propósito) que humilha os seu pastores que juntos estão com suas esposas, porque não estava entrando a quantia de dinheiro que ele esperava, ele esqueceu que pastor cuida de ovelha, e não é seu escravo e nem lixo para ele xingar, ameaçar e desonrar seus liderados.

O evangelho repito não é negocio!

Pagar milhões para uma rede de TV por mês judiando de pastores e ovelhas não é certo.

Os fins não justificam os meios.

Hoje tem cantores que não gravam para evangelizar mas para ganhar o disco de ouro e ter fama e fãs e cobram fortunas para ir cantar em uma igreja.

Querem estar mais no troféu esse e aquele e virar global do que dizer:

"eu sou crente e não canto eu louvo!"

Fuja, mas corra mesmo desta gente que se finge de servos de Deus em troca de um salario, e se vendem por uma vida abastada, para então tocar no que é seu usando a má fé e textos bíblicos destorcidos, só para então chegar em seus objetivos humanos horríveis.